Sobre Mossoró

Cidade de Mossoró

Mossoró é uma cidade brasileira localizada no interior do estado do Rio Grande do Norte. Pertence à mesorregião do Oeste Potiguar e à microrregião homônima, localizando-se a uma distância de 285 km a noroeste da capital do estado, Natal. Ocupa uma área de 2 110,207 km² (o maior município do estado em área), sendo que 11,5834 km² estão em perímetro urbano. Em 2011 sua população foi estimada pelo IBGE em 263 344 habitantes, sendo o segundo mais populoso do Rio Grande do Norte (ficando atrás somente da capital) e o 94º de todo o país.

A sede tem uma temperatura média anual de 27,4°C e na vegetação original do município pode-se observar a presença da caatinga hiperxerófila, carnaubal e a vegetação halófica. Com uma taxa de urbanização 91,31 %, o município contava em 2009 com 115 estabelecimentos de saúde. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,735, considerado médio pelo PNUD e o sexto maior do estado.

Localizada entre Natal e Fortaleza, às quais é ligada pela BR-304, Mossoró é uma das principais cidades do interior nordestino, e atualmente vive um intenso crescimento econômico e de infraestrutura, considerada uma das cidades de médio porte brasileiras mais atraentes para investimentos no país. O município é o maior produtor em terra, de petróleo no país, como também de sal marinho. A fruticultura irrigada, voltada em grande parte para a exportação, também possui relevância na economia do estado, tendo um dos maiores PIB per capita da região. As festividades realizadas na cidade anualmente, atraem uma enorme quantidade de turistas, como o Mossoró Cidade Junina, um dos maiores arraiás do Brasil, e o Auto da Liberdade, o maior espetáculo brasileiro em palco ao ar livre.

Reduto cultural, o município marca pelo Motim das Mulheres, pelo primeiro voto feminino do país, por ter libertado seus escravos cinco anos antes da Lei Áurea, sem falar da resistência histórica ao bando de Lampião. O município foi desmembrado de Assu em 1852 e tinha o nome de Vila de Santa Luzia de Mossoró. Hoje, conhecida como a "Capital do Oeste" por ter se destacado das demais na região Oeste Potiguar, destaca-se também pelo turismo de negócios.

Origens e emancipação

Por volta de 1600, por meio de cartas e documentos que faziam referência às salinas existentes na região, acredita-se que, pela primeira vez, o território que hoje corresponde ao município de Mossoró teria sido povoado. De acordo com Luís da Câmara Cascudo, historiador potiguar experiente e notório, os holandeses Gedeon Morris de Jonge e Elbert Smiente extraíam o sal existente na região até meados de 1644.

D. Fernando Martins Mascarenhas, que era governador de Pernambuco, concedeu, em 1701, terras em Paneminha ao Convento do Carmo de Recife, com sesmarias de entrada em volta, que ainda hoje pertencem ao município de Mossoró. Do mesmo modo, foram sendo concedidas mais terras a brasileiros e portugueses. Durante o século XVIII, às margens de um rio, várias fazendas instaladas por proprietários vindos de outras regiões. A população desses lugares era restrita somente aos vaqueiros, criadores e procuradores da fazenda, uma vez que seus donatários moravam geralmente fora de suas propriedades, como em Natal ou em outras províncias vizinhas, como a Paraíba e o Ceará. Acredita-se que as primeiras pessoas a se instalarem de forma definitiva em suas propriedades foram as famílias Gamboa, Guilherme e Ausentes, que habitavam locais situados às margens do Rio Mossoró, e foram se espalhando para outros luguares até chegarem a Apodi.

Ainda no século XVIII, mudou-se para o mesmo lugar o sargento-mor português Antônio de Souza Machado e sua família, em meados de 1760, com anseio de povoar aquele lugar. Ele foi proprietário da fazenda Santa Luzia e mandou construir uma capela de Santa Luzia, um dos marcos fundamentais ao surgimento de Mossoró. A capela foi fundada oficialmente no dia 5 de agosto de 1772.

Em 1842, o pequeno povoado tornou-se uma freguesia, cuja população se restringia a um quadro em frente à capela de Santa Luzia. Em 15 de março de 1852, a lei n° 246 concedeu autonomia ao povoado de Mossoró, que foi elevado à categoria de vila, desmembrando-se de Assu (na época "Princesa") e tornando-se um novo município do Rio Grande do Norte. Dez anos depois, a capela de Santa Luzia foi reconstruída e tornou-se uma matriz. Mais tarde, em 9 de novembro de 1870, a vila de Mossoró foi elevada à categoria de cidade.

Conforme já citado anteriormente, a capela de Santa Luzia foi demolida e reconstruída para se tornar uma igreja matriz, em 1862. Ela foi reconstruída novamente entre os anos de 1878 e 1880. Tempos depois, o povoado de Mossoró foi experimentando um crescimento, quando a viúva do sargento-mor Antônio de Souza Machado doou terras para o povoamento do município.

Economia

O Produto Interno Bruto (PIB) de Mossoró é o segundo maior do estado do Rio Grande do Norte e o maior de todo o Oeste Potiguar. De acordo com dados do IBGE, relativos a 2008, o PIB do município era de R$ 3 025 815,000 mil. 348 641 mil são de impostos sobre produtos líquidos de subsídios a preços correntes. O PIB per capita é de R$ 12 521 74 e o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de renda é de 0,639, sendo que o do Brasil é de 0,723.

De acordo com o IBGE, a cidade possuía, no ano de 2009, 5 324 unidades locais, sendo que 5 064 dessas empresas e estabelecimentos comerciais eram atuantes e havia um total de 106 597 trabalhadores, sendo 56 442 eram do tipo "pessoal ocupado total" e 360 210 do tipo "ocupado assalariado". Salários juntamente com outras remunerações somavam 804 869 reais e o salário médio mensal de todo município era de 2,8 salários mínimos. A principal fonte econômica está centrada no setor terciário, com seus diversos segmentos de comércio e prestação de serviços de várias áreas, como na educação e saúde. Em seguida, destaca-se o setor secundário, com complexos industriais de grande porte. De acordo com o IBGE, Mossoró teve o maior crescimento do PIB entre os municípios do interior do Nordeste, que foi de 24,83%, seguida pelos municípios de Campina Grande, na Paraíba (cujo PIB cresceu 22,46%); Arapiraca, em Alagoas (18,27%); Caruaru, em Pernambuco (16,34%); Juazeiro, na Bahia (15,63%) e Juazeiro do Norte, no Ceará (11,62%).

Setor primário

A agricultura é o setor menos relevante da economia de Mossoró. De todo o PIB municipal 57 761 mil reais são o valor adicionado bruto da agropecuária. Segundo o IBGE em 2009, a cidade de Mossoró contava com uma rebanho total de 25 683 bovinos, 14 820 caprinos, 8 976 ovinos, 6 517 suínos, 1 204 asininos, 1 182 equinos, 481 muares e 860 070 aves (entre 494 816 galos, frangas, frangos e pintos e 365 254 galinhas), além de 11 060 vacas ordenhadas, 22 968 codornas e 581 coelhos. No mesmo ano, Mossoró produziu um total de 11 288 litros de leite, 7 085 mil dúzias de ovos de galinha, 32 482 quilos de mel de abelha e 136 mil dúzias de ovos de codorna. Na lavoura permanente foram produzidos, também no ano de 2009, coco-da-baía (38 mil frutos), castanha de caju (2 472 toneladas), mamão (500 toneladas), banana (110 toneladas) e manga (88 toneladas). Já na lavoura temporária, produzem-se melão (168 mil toneladas), melancia (42 mil toneladas), milho (duas mil toneladas), sorgo (2 600 toneladas), girassol (360 toneladas), feijão (240 toneladas), algodão herbáceo (175 toneladas) e mandioca (120 toneladas). Vale-se salientar que Mossoró, junto com os municípios vizinhos Assu e Baraúna, forma o Polo Mossoró/Baraúna/Assu (ou Polo Mossoró/Baraúna/Açu), o maior produtor de melão do Brasil, seguido pelo região do Médio Jaguaribe, já no vizinho estado do Ceará. O polo chegou, no ano de 2007, a produzir um total aproximado em 254 mil toneladas da fruta, sendo cinquenta mil vendidos para o mercado interno brasileiro e aproximadamente 204 mil toneladas foram exportadas para o mercado externo de outros países.

Outro destaque no setor primário do município é a fruticultura irrigada. A região polarizada por Mossoró é, desde 1990, conhecida pelo Ministério da Agricultura como a região da "Mosca da Fruta", ou "Área Livre da praga Anastrepha Grandis". Essa condição proporciona e facilita a entrada de produtos em outros mercados consumidores, como, por exemplo, os Estados Unidos, o Japão e o bloco da União Europeia.

Setor secundário

Este é o segundo setor que mais rende na economia mossoroense: cerca de um terço do Produto Interno Bruto do município (189 840 mil reais) está voltada para o setor secundário. Mossoró, junto com Natal, concentra os principais setores industriais do Rio Grande do Norte. Há nesses municípios uma grande concentração de indústrias têxteis, de confecção e de artigos essencialmente voltados ao turismo. Além disso, destacam-se ainda a produção de sal e petróleo, este último principalmente, devido ao fato de Mossoró ser o maior produtor de petróleo (em terra) do país, com uma produção diária de 47 mil barris e mais de 3 500 poços. Na produção de sal, o município é responsável por cerca da produção salineira de todo o Brasil.

Além do sal e do petróleo, o município também destaca como sendo pela sua produção de cimento e de cerâmica. Em Mossoró podem ser encontradas várias filiais de empresas de grande porte, como, por exemplo, a empresa catarinense Itagres Revestimentos Cerâmicos, a Cerâmica Porto Rico e várias fábricas de cimento, como a Itapetinga.

Setor terciário

A prestação de serviços rende 1 429 934 mil reais ao PIB municipal. O setor terciário atualmente é a maior fonte geradora do PIB mossoroense, destacando-se principalmente na área do comércio. A cidade possui diversos centros comerciais e centros de compras, como o Mossoró West Shopping (o primeiro shopping center do município), o Atacadão e o Hiper Bompreço. Também destacam-se as micro e pequenas empresas. Também há no município o Mercado Público de Mossoró, que, segundo versões, começou a ser construído em 1875 e teve seu acabamento final dois anos depois, sendo reconstruído três décadas depois. Nos últimos anos, a construção civil também ganhando força na economia de Mossoró.

O comércio mossoroense é um dos mais dinâmicos do estado do Rio Grande do Norte.

Educação

Mossoró, em 2009, contava com aproximadamente 60 905 matrículas e 382 escolas nas redes públicas e particulares entre os ensinos pré-escolar, fundamental e médio. No ano de 2009, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) das escolas estaduais era de 3,8 para estudantes de 1ª à 4ª série e 2,8 para estudantes de 5ª à 8ª série, enquanto que o índice das escolas municipais era de 4,4 para estudantes no ensino primário e 2,9 para estudantes do ginásio (de quinta à oitava série). Esses números mostram que a educação em Mossoró anda bem entre estudantes de primeira à quarta série, intermediária entre estudantes do ensino médio e mal em estudantes de 5ª à 8ª série. Atualmente, o governo do estado vem trabalhando e realizando estudos para melhorar o IDEB do estado e dos municípios. O município possui em seu território algumas instituições de ensino superior instaladas, como o Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), a Faculdade de Enfermagem Nova Esperança (FACENE), a Faculdade Mather Christi, o Campus Universitário Central e a Universidade Potiguar (UNP).

Segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) e do Ministério da Educação (MEC), o índice de analfabetismo no ano de 2000 entre pessoas era mais frequente na faixa etária acima dos vinte e cinco anos (31,8%), enquanto a menor frequência era entre quinze e dezessete anos (14,53%). A taxa bruta de frequência à escola, que em 1991 era de 71,35%, passou para 86,43% em 2000. 11 632 pessoas possuíam menos de um ano de estudo ou não contavam com instrução alguma.

Os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) de 2011 mostram 5 escolas públicas mossoroenses dentre as 10 que obtiveram as melhoras médias no Rio Grande do Norte.

Turismo e eventos

Mossoró é uma das cidades mais visitadas do estado do Rio Grande do Norte, sendo um destino especialmente procurado pelos turistas. Conta com diversos pontos turísticos, como a Catedral de Santa Luzia, que é sede da Diocese de Mossoró, o Cemitério São Sebastião, a Central de Abastecimento, a Estação das Artes Elizeu Ventania, a Igreja São Vicente, o Mercado Municipal de Mossoró, o Mercado do Bode, o Museu Lauro da Escóssia, o Museu do Petróleo, o Palácio da Resistência, o Museu Zoobotânico e a Ponte Ferroviária de Mossoró. Além destes monumentos, há também o Rio Mossoró, que é um dos principais cartões postais mossoroenses.

No ramo do eventos, destacam-se o Mossoró Cidade Junina, uma das maiores festas juninas do Nordeste, composto por vários eventos, dentre os quais se destacam "Chuva de bala no país de Mossoró", contracenado por artistas mossoroenses, o show de variadas bandas na Estação das Artes, no centro da cidade, a "Cavalgada da Resistência", o "Cidadela", passeios de charrete, forró-pé-de-serra, entre muitos outros atrativos; a Festa do Bode, que consta de exposição de caprinos e ovinos de várias raças, premiação para os melhores expositores, feira de animais inclusive com financiamento de bancos oficiais, torneio leiteiro com premiação dos vencedores, Seminário sobre a cadeia produtiva da caprinovinocultura, com técnicos e pesquisadores de várias instituições de pesquisa, exposição e feira de produtos e serviços ligados à área da agricultura e pecuária, comidas típicas, barracas, artesanato, forrobodó, festival de violeiros e repentistas e Shows artísticos culturais; o Auto da Liberdade, um dos maiores espetáculos teatrais ao ar livre do mundo, que ocorre todos os anos durante os dias da última semana de setembro, e que celebra os quatro atos libertários do município de Mossoró: a abolição dos Escravos em 1883 (5 anos antes da Lei Áurea, tornando-se um dos primeiros municípios a abolir a escravidão), o Motim das Mulheres em 1875, o primeiro voto feminino, de Celina Guimarâes, em 1928 e a resistência ao bando do mais famoso cangaceiro do Nordeste, Virgulino Ferreira da Silva, conhecido como Lampião, em 1927; e o Mossoró, Terra de Santa Luzia, que é uma comemoração à padroeira mossoroense, Santa Luzia, e ocorre anualmente entre os dias 3 e 13 de dezembro, sendo considerada uma das maiors festas religiosas do Brasil.

Para homenagear a comunidade de moradores desta maravilhosa cidade, o Encontra Rio Grande do Norte criou o Encontra Mossoró.

Blog do Guia da Cidade de Mossoró

Receba notícias por e-mail
Cadastre-se e receba notícias de Mossoró por e-mail
 

Limites - Cidades Vizinhas

Tibau, Grossos, Areia Branca, Serra do Mel, Assu, Upanema, Governador Dix-Sept Rosado, Baraúna e Aracati (CE).

Dados Principais sobre Mossoró

Aniversário: 25 de dezembro
Fundação : 1599
Gentílico: mossoróense
Area: 170,298 Km²
População 817,590 hab. (2008)
IDH 0,788 - médio
Prefeitura Mossoró

Brasão de Mossoró
Brasão de Mossoró

Bandeira de Mossoró
Bandeira de Mossoró

Vídeo sobre a cidade de Mossoró
Veja mais vídeos sobre a Cidade de Mossoró

Mapa de Mossoró

 

Moradores ilustres de Mossoró

   

  Sobre o EncontraMossoró
Anuncie no EncontraMossoró
Cadastre sua empresa no EncontraMossoró (grátis)
Fale com EncontraMossoró


Termos do Serviço | Política de Privacidade